BUSQUE O ARTIGO

Moda, Beleza e Comportamento

Tag Archives:
destaque

Como montar uma salada completa e nutritiva?

A salada vem se fazendo cada vez mais presente nas nossas mesas e é indispensável na rotina dos veganos e dos vegetarianos.

Apesar de muita gente achar que a salada serve apenas de acompanhamento e não enche a barriga, esse prato pode ser uma refeição completa, saborosa e muito nutritiva.

Entretanto, muitas pessoas ainda têm dificuldades na hora de montar e saborear uma salada com bastante variedade de ingredientes, capazes de torná-la mais diversificada, colorida e gostosa.

Confiram abaixo dicas de como montar uma salada completa, nutritiva e muito atraente:

1.Comecem pelas folhas:

A base de uma boa e deliciosa salada são as folhas. As folhas são ricas em fibras, ajudam na sensação de saciedade e ainda protegem as paredes do estômago.

Pelo fato de serem ricas em fibras, as folhas ajudam a controlar o colesterol, a glicemia e os triglicerídeos, prevenindo doenças como a diabetes e a pressão alta. Além disso, melhoram o trânsito intestinal.

Para deixarem suas saladas mais ricas, apostem em uma mistura de tipos diferentes de folhas.
Algumas sugestões: Alface,espinafre,rúcula,couve e a acelga.

2.Adicionem os legumes:

Apesar das folhas serem muito importantes numa salada e fornecerem uma série de nutrientes, um prato completo e realmente nutritivo precisa de deliciosos legumes.

Na hora de adicionar esses itens à sua salada, uma boa regra é deixá-la o mais colorida possível. Divirtam-se com as diferentes cores e sabores dos alimentos. Colorir a refeição é importante porque alguns artigos são ricos em determinados nutrientes que são responsáveis por dar cor a eles.

Os alimentos de cor avermelhada, por exemplo, são fontes de vitamina C e licopeno.
Já os alaranjados são ricos em vitamina E e betacaroteno.
Os alimentos roxos são ricos em antocianinas e resveratrol — antioxidantes muito potentes.

Algumas sugestões de legumes para tornar sua salada mais completa e nutritiva são o brócolis, a beterraba, o pepino, o tomate, os rabanetes, o chuchu, os pimentões e a cenoura, alimentos de cores bem diversas e ricos nos mais diferentes nutrientes!

Acrescentem alguns carboidratos:

Quem pensa que a salada não pode ser uma boa fonte de carboidratos está redondamente enganado: bastam escolher os ingredientes certos.

Até porque, em uma refeição realmente completa deve conter nutrientes dos mais diversos grupos e não somente vitaminas e minerais. Os carboidratos, por exemplo, são essenciais em nossa alimentação, pois eles são a principal fonte de energia para o organismo.

Por isso, acrescentem em suas saladas alguns cereais integrais, como a cevada e a quinoa, ou então alguns tubérculos, como a batata-doce, a batata-inglesa e a mandioca.

Vale também preparar algumas torradinhas integrais para acompanhar a refeição e reforçar os carboidratos.

Experimente a mistura de frutas e legumes cozidos:

Caso vocês gostem de experimentar sabores diferentes, podem acrescentar algumas frutas — elas podem servir também como fonte de carboidratos. Além disso, trazem mais sabor e refrescância para a salada, sendo uma excelente sugestão, principalmente nos dias quentes de verão.

Porém, as frutas devem acompanhar os legumes cozidos, nunca as verduras. Isso porque o consumo de frutas e verduras na mesma refeição não é recomendado. Experimentem adicionar alguma fruta de preferência a uma salada de legumes cozidos a vapor, por exemplo, e verá como o resultado pode ser surpreendente!

Utilizem temperos naturais:

Uma salada saborosa precisa, além de variedade, ser bem temperada. Mas tomem muito cuidado nessa hora para utilizar somente temperos naturais, sejam eles frescos ou até mesmo desidratados.

Fujam dos temperos industrializados, que não têm nenhum valor nutricional e contêm agentes que podem ser tóxicos para o organismo e não agregam.

Temperem a salada usando diversos condimentos, como salsinha, cebolinha, orégano, manjericão, tomilho, alho, coentro e outros.
Para regarem o prato, prefiram o azeite extravirgem, o suco do limão e o vinagre.

A variedade em alimentos já torna a salada mais completa e nutritiva, além de deixá-la bonita e vistosa. Porém, se vocês desejarem caprichar ainda mais no visual, podem organizar os ingredientes por cor, em uma espécie de arco-íris, ou até mesmo apostar em cortes diferentes para os itens.

Michele Rachel Ventura Danciger
Consultora de Nutrição e Gastronomia da Bio Food
www.facebook.com/biofood.express

Iluminação

Olá Bellas, td bem?

Hoje vou dar algumas dicas de iluminação gerais, para vocês usarem e abusarem desse recurso tão versátil na decor!

Aliado às cores e ao mobiliário empregado no ambiente, uma boa iluminação é capaz de promover requinte e aconchego. Sua utilidade vai além de apenas iluminar, pois também exerce uma importante função decorativa.

Você está buscando imóveis para alugar e precisa de algumas dicas de decoração? Está de mudança para a casa nova? Ou está decorando seu escritório? Então a iluminação não pode faltar na sua nova decoração.

Útil como ferramenta decorativa, a iluminação pode destacar o desenho e design de peças de arte, elementos arquitetônicos e móveis presentes no ambiente.

Logo mais você vai saber como a iluminação pode ajudar em seu projeto de design de interiores. Vamos lá?

1 – Cada espaço é único

Engana-se quem pensa que a iluminação deve abranger o ambiente como um todo. Muitas pessoas acreditam que um único método deve ser aplicado em todo o cômodo, mas para extrair o melhor que a luminosidade do ambiente tem a oferecer é importante considerar a necessidade de cada espaço.

Vamos tomar um quarto como exemplo: num ambiente destinado ao descanso, é importante contar com uma iluminação mais baixa deixando as áreas do guarda-roupa mais clara. Na área da cama, é indicado optar por abajur ou luminária de mesa.

2 – Escolha bem lustres e luminárias

É importante o observar o tamanho do espaço do ambiente, para que a luminária ou lustre escolhido não fiquem desproporcionais nos imóveis.

Se o imóvel é amplo com espaços abertos –  estilo estúdio – um lustre maior e chamativo cairá bem, mas se o espaço é menor, a melhor escolha seria um lustre pendente e mais simples.

Já as luminárias são ideais para espaços de leitura ou sobre alguma mesa. Essencialmente, para propor uma iluminação mais discreta. Ficam muito bem nos quartos e salas pequenas.

Para iluminação sobre a mesa ou balcões de cozinha, escolha uma luminária com iluminação mais fosca. As lâmpadas com composição em acrílico ou vidro fosco oferece ponto de luz mais fechado e suave.

3 – Iluminação para objetos de destaque

Abajures com clip e mini lâmpadas oferecem foco a objetos de prateleiras e estantes. Se a intenção é destacar objetos decorativos, apostar nestas opções pode ser uma boa pedida para iluminar estas áreas.

Outra opção, mas não tão prática, é instalar spots com lâmpadas dicroicas nas estantes ou armários para uma iluminação direta sobre os objetos.

4 – Conheça as fitas de LED

Com presença ainda tímida em projetos de decoração, as fitas de LED podem ser muito bem aproveitadas em pequenos espaços como prateleiras, sejam avulsas ou integradas a armários e estantes.

As fitas são vendidas em diversas medidas, sendo assim, é importante medir o local onde a mesma será instalada antes de aplicar na superfície. Cores variadas também estão disponíveis, permitindo “brincar” com os itens decorativos.

Além de econômica, as fitas são versáteis, pois permitem total personalização de ambientes internos e externos. Por não emitirem tanto calor como as demais, é considerada uma das melhores opções para móveis e prateleiras.

5 – Atenção aos espelhos

Evite pontos de luz próximos aos espelhos, pois o reflexo que ocorre quando a luz entra em contato com o material espelhado causa incômodo nos olhos. Lembre-se: a iluminação nunca deve interferir na visão ou refletir diretamente nos olhos.

Durante o processo de decoração, pense bem onde os espelhos decorativos ficarão expostos e projete quais os melhores locais para iluminação pontual.

6 – Escolha a cor da lâmpada

Assim como a cor dos móveis e paredes, as lâmpadas utilizadas para iluminação dos ambientes devem ser bem avaliadas. Lembre-se que a decoração deve harmonizar como um todo, sendo assim, a temperatura de cor deve estar de acordo com o cômodo ao qual será instalada a lâmpada.

Luz fria é indicada para espaços com intensa movimentação. Lavanderias, cozinhas e banheiros são ambientes de atividade, por isso a necessidade de uma iluminação mais ampla.

Já quartos e salas que são espaços mais intimistas e, muitas vezes, há a presença de televisores, opte por uma iluminação mais quente e de tom amarelado.

7 – Lâmpadas de LED

As lâmpadas de LED têm sido muito procuradas devido à facilidade de instalação e economia de energia elétrica. Uma de suas vantagens é o fato de poder ser instalada em qualquer espaço de maneira simplificada e móvel.

Há diversos modelos e tamanhos à venda, possibilitando que seja inserida em abajures e luminárias. Se a intenção é economizar, indica-se que seja instalada em cômodos com mais acesso e que costumam ficar com as luzes acesas por mais tempo.

Nesta opção, também há a possibilidade de escolher a cor da iluminação, entre tons quentes, intermediários ou frios. E, não se preocupe, pois as fitas de LED não danificam a superfície do móvel, visto que é uma preocupação para quem tem casas para alugar ou escritórios com móveis inclusos.

luz2a
Projeto Clinica DECORação

 

Projeto Clinica DECORação
Projeto Clinica DECORação

8 – Quando utilizar luminárias e lustres

Fonte: Freepik.com
Fonte: Freepik.com

Lustres oferecem um ar mais sofisticado ao ambiente, sua escolha deve ser estudada juntamente com os demais itens de decoração para não destoar nos ambientes. É aplicado em salas de estar, cozinhas e em dormitórios.

Os mais tradicionais possuem ramificações em cristal, mas há no mercado diversificadas opções mais modernas ou rústicas. Existem modelos que utilizam lâmpadas e aqueles que as substituem por velas. A escolha depende muito da proposta do ambiente.

As luminárias podem ser encontradas em opções de mesa, de parede, embutidas e também pendentes. Promovem iluminação pontual e são indicadas para espaços que não exijam tanta incidência de luz.

Podem ser encontradas em tamanhos maiores, similares a abajur ou lustre. Geralmente, aplicadas para proporcionar mais discrição caso o restante da decoração seja o principal centro de atenção.

Há também os chamados pendentes que ficam suspensos. Estes, em sua maioria, são mais clean e podem ser utilizados tanto em apartamentos quanto em escritórios.

A decoração dos cômodos deve ser harmônica, pois é essencial sempre observar a necessidade de cada espaço e qual proposta deseja ser empregada em cada ambiente ao definir a iluminação. Portanto a contratação e auxilio de um profissional e imprescindível.

E aí Bellas, gostaram das dicas de hoje? Se você quiser uma dica sobre algum assunto especifico, manda sua sugestão para gente!

Um grande beijo,

Arq. Luiza Altman
Clinica DECORação
https://www.facebook.com/siteclinicadecoracao/
www.clinicadecoracao.com.br
Instagram: @clinicadecoracao

Decorando com tons de azul

Olá Bellas, tudo bem?

Hoje a cor azul e suas variações estão muito presentes nas tendências de decoração, porem muita gente tem duvidas de como usar essa opção na decor.

O azul é uma cor que passa tranquilidade, e é excelente para quartos por exemplo em uma tonalidade mais clara ou em um tom mais queimado. Porem o azul tem uma infinidade de possibilidades.

Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest

Em um ambiente mais masculino por exemplo, um tom de azul petróleo, combinando com moveis cinzas e objetos pretos fica chique e descolado.

O azul pode estar presente até em quartos de menina. No tom turquesa vai muito bem com magenta e pink.

Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest

Na sala de estar, ele pode ser pano de fundo do sofá, contrastando numa composição com quadros em preto e branco, um sofá cinza e um tapete geométrico. Pode aparecer no sofá em almofadas, mantas ou ate mesmo no tecido de uma poltrona ou dando foco a uma peça especifica.

azul2

Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest

 

Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest

O azul pode aparecer em tons mais claros em varias paredes, em uma composição mais neutra e clássica, misturada com moveis brancos. Também é uma cor que vai muito bem com tons de madeira em geral, caramelo e carvalho por exemplo. Vale a pena investir mesmo nessa combinação de materiais e texturas.

Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest

O azul é uma cor que pode aparecer em todos os ambientes da sua casa, trazendo tranquilidade e charme para sua decoração!

E aí bellas, gostaram das dicas de hoje? Se você quiser uma dica sobre algum assunto específico, manda sua sugestão para gente!

Um grande beijo,

Arq. Luiza Altman
Clinica DECORação
https://www.facebook.com/siteclinicadecoracao/
www.clinicadecoracao.com.br
Instagram: @clinicadecoracao

Moqueca Vegetariana

Moqueca:

Capixaba ou baiana? Eis a questão. Independente de onde tenha surgido, uma coisa é fato, a moqueca é brasileira! Essa iguaria a cara do Brasil marcante, diverso e colorido. Por ter um imenso território, a culinária brasileira varia muito, é o resultado de uma grande mistura de ingredientes e tradições adaptados ao clima de cada região. A moqueca capixaba não leva azeite de dendê, nem leite de coco e pimentão, já a baiana sim.

O nome do prato vem da palavra indígena moquear, que em tupi significa assar em fogo lentamente. Interessante né! O modo tradicional de preparo é cozinhar em panela de barro.

A moqueca tradicional é feita com frutos do mar ou pode substituir pelos peixes Namorado ou Linguado, mas é possível fazer na versão vegetariana, com banana-da-terra, palmito, caju, cogumelos ou carne de jaca e ainda colocar tomates e pimentões coloridos em uma vistosa panela de barro, que faz toda a diferença no preparo! Ah! Não pode esquecer do emblemático azeite de dendê, que deixa o prato ainda mais colorido!!!

Moqueca vegetariana:

-> Ingredientes:

2 unid Cebola em rodelas
2 unid  Tomate em rodelas
3 unid Pimentões vermelho, verde e amarelo em rodelas
3 unid Palmito fresco ou em conserva em rodelas
1 fio de Azeite de oliva
1 fio Óleo de gergelim ou de amendoim
½ xícara de chá de Coentro fresco picado
½ xícara de chá Alga nori em tirinhas
200 ml de Leite de coco light
Sal a gosto

-> Modo de fazer:

Separe uma panela grande e funda e comece a montar a moqueca.

Comece pelo fio de azeite. Em seguida, faça camadas com a cebola, os pimentões, o tomate e o palmito. Repita as camadas (cebola, pimentões, tomate e palmito).

Depois acrescente uma camada de coentro fresco, uma de nori picado, adicione sal e pimenta.
Finalize com o azeite de amendoim ou de gergelim e o leite de coco. Tampe e leve ao fogo baixo por 20 minutos ou até tudo se transformar em uma moqueca.

Rendimento: 4 / 6 porções

Bom apetite!!

Michele Rachel Ventura Danciger
Consultora de Nutrição e Gastronomia da Bio Food
www.facebook.com/biofood.express

Cuidados ao contratar fornecedores para sua obra

Olá Bellas, tudo bem?

Hoje vou dar algumas dicas de cuidados essenciais que devemos ter ao contratar um fornecedor ou serviço para nossa reforma.

Com as redes sociais, é muito comum temos muitas referencias boas de profissionais com mais facilidade. Mas mesmo assim e muito importante levantar alguns aspectos na hora de tomar a decisão.

luiza1

1.       Pegue referencias de quem já usou o serviço

Ao iniciar sua pesquisa, procure referencias de outros clientes que já contrataram o profissional ou mesmo avaliações na internet, em sites de atendimento ao consumidor ou portais de serviço. Isso é muito importante para que você não tenha dor de cabeça depois, mesmo que não garanta totalmente que o serviço será 100%. As vezes dá certo com um cliente e com outro não, mas geralmente empresas e profissionais com boas referencias já são um ótimo começo. Avalie também o portfólio e serviços executados, para avaliar se eles seguem o seu padrão de orçamento e qualidade.

2.       Verifique se a empresa ou profissional são idôneos

Verifique dados como cnpj, endereço, site, telefone fixo. Isso e facilmente encontrado na internet hoje e ajuda bastante na hora de contratar, além de o contato do profissional responsável e no caso de arquitetos e engenheiros, se possuem registros nos órgãos competentes.

3.       Faça mais de um orçamento do mesmo serviço

Isso e muito importante para que você possa avaliar o padrão de custo de um serviço. Geralmente com 3 orçamentos você já consegue um excelente resultado para avaliar. Só temos que nos atentar se estamos comparando orçamentos iguais. Por exemplo, ao orçar uma marcenaria de um closet, os materiais como a madeira, puxadores, ferragens e acabamentos devem ter o mesmo padrão para que seja possível comparar os fornecedores.

Formas de pagamento e prazo de entrega devem ser levados em conta. Lembre-se que nem sempre o serviço mais barato e o mais vantajoso. Se dois orçamentos estiverem parecidos e um muito mais barato provavelmente algo esta errado. O barato geralmente sai caro, por isso muito cuidado!

luiza3

4.       Faça um contrato claro e objetivo

Depois de escolhido o fornecedor, elabore um contrato com todos os detalhes do que foi orçado. Se precisar conte com a ajuda de um advogado nesse processo. Não acerte nada de boca pois isso pode dar muita dor de cabeça depois.

luiza4

5.       Documente todo o processo por e-mail

Documentar todas as conversas, acordos e mudanças por e-mail é muito importante para que não haja divergências após a execução dos serviços, seja no que foi entregue ou nos pagamentos.

6.       NUNCA, JAMAIS, PAGUE O SERVIÇO ANTECIPADAMENTE.

Sim, coloquei em caps lock para que essa frase fique em destaque. Mesmo que o profissional ofereça desconto para o pagamento antecipado, não faça isso sem que o serviço tenha iniciado. Mesmo com um contrato em mãos isso pode gerar problemas. A minha dica é que seja pago um sinal de no máximo 50%, e se for um serviço curto, o restante seja acertado na finalização do mesmo.

luiza5

E aí bellas, gostaram das dicas de hoje? Se você quiser uma dica sobre algum assunto especifico, manda sua sugestão para gente!

Um grande beijo,

Arq. Luiza Altman
Clinica DECORação
https://www.facebook.com/siteclinicadecoracao/
www.clinicadecoracao.com.br
Instagram: @clinicadecoracao

Chutney de maçã

Chutney:

Chutney é uma parte importante da culinária indiana. É um tipo de molho encorpado que pode ser usado com outros alimentos para dar mais sabor à refeição, pode ser acompanhamento de pães variados ou mesmo uma carne.

Há tantas variedades de chutneys que podem ser consumidas como um mergulho ou molho.

Similar na preparação e uso a um picles, chutneys temperados simples pode ser datada de 500 aC. Originário da Índia, este método de conservação de alimentos foi posteriormente adotada pelos romanos e impérios britânico posteriores, que, em seguida, começou a exportar isso para as colônias, Austrália e América do Norte.

Como as maiores e variadas importações de alimentos estrangeiros aumentaram no norte da Europa, combinado com uma maior capacidade de refrigerar alimentos frescos e uma quantidade crescente de estufas, o chutney caiu em desuso e foram relegados para uso militar e colonial.

O Chutney reapareceu na Índia por volta da década de 1780 como um aperitivo popular.

A partir do século 17, chutneys de frutas foram enviadas para países europeus como Inglaterra e França como bens de luxo. Essas imitações foram chamados frutas ou legumes “mangoed”, a palavra ‘chutney’ ainda está sendo associada com as classes mais baixas de trabalho.

Os Chutneys indianos são preparados de forma mais seca ou molhada e pode ser doce ou azedo ou quente. As variedades de chutney são inúmeras e podem ser feitas de um único vegetal ou uma combinação de legumes, lentilhas, frutas, nozes, entre outros.

Lá, os chutneys pode ser feito parecido com picles que são amadurecidos ao sol por até duas semanas e mantidos até um ano ou, mais geralmente, são feitos na hora com ingredientes frescos que podem ser mantidos por vários dias ou uma semana em refrigeração.

Claro que cada país tenta criar seu próprio estilo de Chutney; Para o estilo Inglês por exemplo, foi adicionado vinagre na receita, que, tradicionalmente, tem como objetivo dar uma vida útil longa a fim de que possa ser preservado para uso durante todo o ano (são doces, geléias e picles) ou mais para ser vendido como um produto comercial. Geralmente esses chutneys são cheios de vinagre e açúcar e cozidos para se obter uma redução.

Receita de Chutney de maçã:

-> Ingredientes:

20 maçãs sem casca, sem sementes e picadinhas
3 pedaços (2,5 cm cada) de raiz de gengibre fresca descascada
250 ml de vinagre de vinho branco
100 g de açúcar refinado
75 g de açúcar mascavo
1/2 colher (chá) de canela
½ colher (chá) de pimenta branca
1/2 colher (chá) de cardamomo em pó
1/4 de colher (chá) de noz-moscada em pó

-> Modo de preparo:

Em uma panela, junte as maçãs com o gengibre, o vinagre, os dois tipos de açúcar (comum e mascavo), a canela, a pimenta branca, o cardamomo e a noz-moscada. Deixe essa mistura levantar fervura. Depois, reduza o fogo e tampe a panela. Cozinhe em fogo baixo por 30 minutos, mexendo com frequência, até as maçãs ficarem macias. Caso seja preciso, acrescente um pouco de água para manter os ingredientes úmidos. Retire a cebola e o gengibre. Por fim, guarde o chutney na geladeira até a hora de servir.

Rendimento: 6 porções.

Bom Apetite!

Michele Rachel Ventura Danciger
Consultora de Nutrição e Gastronomia da Bio Food
www.facebook.com/biofood.express

 

  • foto do site www.tudoreceitas.com