BUSQUE O ARTIGO

Moda, Beleza e Comportamento

Tag Archives:
empatia

Cavalheirismo ou gentileza?

O foco na equidade da diversidade social tem trazido a baia um série de questionamentos sobre a mulher nos dias de hoje e um dos pontos que tenho me perguntado é se o cavalheirismo irá se perder após essa discussão toda. Explico: muitos dos que discursam a favor da equidade de gênero dizem que por traz do gesto cavalheiro há uma crença machista.

Ao tratar a mulher com delicadeza, o homem e a sociedade a colocam num lugar menor. A delicadeza acentua sua suposta fragilidade e isso pode, no fundo, significar que a mulher é inferior pois precisaria de um homem que a cuide e proteja. Sendo protetor, ele pode conduzir e mandar.

Concordo com essa linha de raciocínio pois acredito que realmente, nas suas origens muitos séculos atrás, ela tenha esses fundamentos. Como somos lentos – bem lentos –  para mudar valores e crenças sociais, muitos atuais cavalheiros e suas damas creem que ser mulher tem a ver com ser protegida pelo homem.

Difícil sair desse mecanismo quase automático que temos, nos mulheres, em gostar de uma abertura de porta, um ceder lugar, um levantar quando se chega – existe isso ainda? –  um carregar de pacotes… Sim isso nos fazer sentir mais femininas. E o que é ser feminina no nosso imaginário coletivo se não ser delicada? Como sermos delicadas sem cair na imagem associada há séculos de fragilidade? E aquelas mulheres que evidentemente não são delicadas nos seus gestos e atitudes, não merecem de ter portas abertas, lugares oferecidos?

Por isso gosto de caminhar pela rota da gentileza que se mostra alternativa para o velho cavalheirismo. Pela gentileza abrimos portas e cedemos passagens. Pela gentileza puxamos cadeiras e carregamos pacotes; e isso independe de gênero. Basta ser empático, estar conectado com o outro.

Agora, vamos confessar que encontrar homens gentis que não caem na armadilha do cavalheirismo, são maravilhosos, não são?

Nany Bilate
Pesquisadora, pensadora e fundadora da Behavior, centro de estudos sobre valores e crenças sociais.
www.behavior.com.br

Feliz Ano Novo!

Vocês que me acompanharam esse ano e me viram falar sobre minhas peripécias e aventuras devem estar esperando mais um texto engraçado para fechar o ano…desculpem… mas não será isso, não desta vez.

Vou falar sério de algumas coisas que pra mim pelo menos, valerão não só para o próximo ano… mas para uma vida inteira! Se alguma dessas coisas que escreverei aqui lhe fizer sentido, use e abuse, afinal o que a gente realmente quer na vida é ser feliz.

Para ser feliz, seguem algumas coisas importantes a serem feitas, e garanto: nenhuma delas envolve dinheiro.

1. Seja mais flexível: por mais que queira e às vezes quase tenha certeza, nem sempre você terá a razão. Por mais difícil que pareça ser, para darmos a razão a alguém, ela deve fazer sentido para a gente… se não fizer, retrucaremos até o fim. Sendo assim, poupe energia e não discuta com coisas e pessoas que não te levam a lugar algum.

2. Evite desgastes: muitas vezes nos desgastamos tentando encontrar o porque das coisas ou ainda em discussões desnecessárias. Pare e pense… Você nem sempre receberá aquilo que dá na mesma intensidade, mas certamente apenas dará o que tem! Deixe que a ingratidão volte a quem de direito por outros meios, e não fique amargurando o que passou. O passado não te leva a lugar nenhum… ele só te impede de seguir em frente.

3. Esteja bem para fazer o bem: dedique seu tempo a quem merece… começando por você mesma! Muitas vezes queremos dar conta do mundo e da vida de todos a nossa volta e nos esquecemos de nós mesmas. Num salvamento por exemplo, você só pode resgatar alguém se estiver segura e souber nadar, caso contrário morrerá junto. Ajuste seus ponteiros, objetivos e siga em frente. Quando estamos bem com a gente o resto flui melhor.

4. Economize críticas vazias: a crítica construtiva faz crescer a quem ouve, pois é dada como um presente. A crítica vazia além de não levar a lugar algum, traz oportunidade de discussões que geralmente se encaminham para lugares indesejados e sem foco. Isso traz desgaste e mal estar que não mudarão a sua vida, mas certamente tirarão do prumo a quem as ouviu sem necessidade.

5. Não desmereça ninguém: todos tem a melhor família do mundo apesar dos perrengues, todos têm os filhos melhores do mundo, todas são super mães e super pais… Sendo assim, respeite que por mais diferença que tenha, cada um faz o melhor de si quando o assunto é amor.

6. Pratique a empatia: em todas as situações que viver, a possibilidade de colocar-se no lugar do outro muitas vezes é o melhor termômetro para agir ou não. Sentir como o outro sente pode nos ajudar a sermos menos individualistas e proporcionar gratidões indescritíveis.

7. Sorria sempre: o sorriso abre portas! O sorriso transforma um dia… o sorriso acalma a alma… o sorriso sempre faz bem. Não sorria precisando de um motivo, seja o motivo! Você está viva e isso já é o melhor motivo de todos.

8. Não tenha medo de dizer não: quando dizemos o sim para agradar o outro, o outro vai embora feliz e você fica triste por não ter feito o que queria. Na vida, você sempre ouviu mais ‘nãos’ do que ‘sins’ e isso certamente te fez seguir em frente buscando alternativas e melhores soluções. Nem sempre foi fácil ouvir o não, mas a conquista posterior a esse não, tinha um sabor inigualável. Deixe que as pessoas descubram o sabor da conquista também.

9. Seja solidário: Ser solidário é saber ouvir além das palavras, é saber enxergar além dos olhos… vai além da doação de alimentos ou roupas… Também é a doação de tempo. Tenha tempo para as pessoas, ouvir um desabafo, uma aflição, uma alegria, uma saudade, uma história e até mesmo um abraço, podem salvar um dia de alguém.

10.Pratique a cara de Barbie na caixa: para tudo o que não está escrito acima podemos usar o nobre sorriso da amiga loira. Para todas as pessoas que enchem o saco com conselhos desnecessários, críticas ridículas, intromissões de vida alheia, fofocas descompensadas, comentários de pessoas mal amadas, dicas de relacionamento vindas de casal sem noção… Barbie na cabeça! Solte aquele sorriso sem estresse sem mencionar uma palavra sequer e dane-se… abra um vinho e vá ser feliz como você bem entender!

Beijos até o ano que vem!

Juliana Brandileone