BUSQUE O ARTIGO

Moda, Beleza e Comportamento

Tag Archives:
história

O olhar e a leitura

 

O senso comum diz que lemos palavras, mas fazemos várias leituras com nosso olhar:

Olhamos as nuvens e nelas lemos se vai chover.

Vemos no rosto de um amigo se ele esta bem ou não, lendo sua expressão.

Lemos a vida através da experiencia do dia a dia.

Sabemos ler o que diz o chão que pisamos: se é esburacado, cuidado para não torcer o pé. Se choveu, se está escorregadio ou podemos seguir caminhando.

Ler uma notícia, implica em compreender e interpretar, não são apenas palavras, mas letras com um conteúdo, ao qual daremos o colorido que pudermos dar.

Falar ou escrever: um conjunto de letras, ruídos e conteúdos impregnados de interpretações e vivências.

Quando escrevo sou o personagem da história que construo. Como será que sou lida? Quando falo, também.

Quando leio, sou o personagem daquilo que estou lendo. Assim posso entrar e construir um vasto universo. Tudo depende da intenção de descoberta do nosso olhar.

Como será que me leem?

Não sei o que minhas palavras causam: apenas sei que cada leitor fará a leitura que puder fazer das palavras que escrevo.

A liberdade que o conjunto de letras me proporciona, é prazerosa.

Fatos incríveis vêm ocorrendo pelo mundo e é visível como cada um faz sua leitura!

Saiamos do senso comum e vamos procurar ler o outro, cada um com sua história, escrita ou não. Cada vida traz uma leitura rica em detalhes.

Ando exercitando aprimorar minhas múltiplas leituras e assim tornar meu dia a dia mais rico.

Que tal?

Estão todas convidadas!

Miriam Halpern
Psicóloga e Psaicanalista
mhalperng@gmail.com

O surgimento das maratonas

Assim como toda lenda, a história da maratona é recheada de curiosidades e fatos extravagantes que, com o tempo, ganhou ainda mais misticismo.

Uma das versões mais aceitas em relação ao surgimento da corrida de 42.195 metros remete ao ano de 490 a.C., quando soldados atenienses marcharam até a Planície de Marathónas para combaterem os persas, na batalha que fazia parte das Guerras Médicas.
Como estavam em um número muito menor, os gregos precisavam de reforços para conseguirem a vitória. Desta forma, o comandante Milcíades resolveu escalar um de seus melhores corredores para cobrir a distância de 40 km, que separava a cidade que estavam de Atenas, e pedir ajuda.
Pheidippides foi o escolhido para a tarefa de percorrer o percurso acidentado até a atual capital grega. Lá chegando, conseguiu reunir cerca de 10 mil soldados, com os quais voltou para o local da batalha.

Após a vitória sobre o poderoso exército persa, Milcíades decidiu mandar novamente seu experiente corredor até Atenas, para passar a boa notícia. Mesmo exausto, Pheidippides correu novamente os cerca de 40 km que separavam as cidades e, lá chegando, conseguiu apenas dizer uma única palavra antes de cair morto. “Νενικήκαμεν” (Vencemos).
A primeira maratona dos Jogos Olímpicos modernos foi realizada no ano de 1896 no percurso original, e seu vencedor foi Spiridon Louis, com o tempo de 2h 58min 50seg, fazendo a média de 4min28 por quilômetro.

Em 1908, nos Jogos Olímpicos de Londres, o percurso da maratona sofreu uma alteração. Para que a família real britânica pudesse assistir ao início da prova do jardim do Castelo Windsor, o comitê organizador aferiu a distância total em 42.195 metros, que continua até hoje.

A maratona se firma cada vez mais como um acontecimento esportivo das grandes cidades. Além de ser a prova clássica das Olimpíadas, ela fixou seu templo sagrado na cidade de Nova York onde, a partir de 1970, ela pára o trânsito e leva milhares de pessoas às ruas, que vibram pelos “desafiantes”.

Mais do que um evento desportivo, a maratona é vista como uma superação pessoal, ao nível da caminhada a Santiago de Compostela ou a escalada ao Everest: “uma conjugação de preparo físico, preparação mental, planejamento cuidadoso de estratégia e fé em si mesmo”. Grande maioria dos participantes atuais não entra na maratona para chegar em primeiro lugar, mas sim para se redescobrir, se redirecionar e aprender que, se consegue correr uma maratona, também será capaz de atingir outros feitos que muitos consideram inatingíveis.

Não só pelo quantidade de pessoas, mas também por serem as mais antigas, as Top 6 tradicionais maratonas especiais do mundo são:

Boston – a mais antiga desde 1897

Nova York

Chicago – maior número de inscritos

Berlim – percurso mais rápido

Londres

Tóquio

As seis juntas formam World Major Marathon Series (WMM) que é uma competição paralela. Correndo pelo menos 3 das 6 provas você pode ganhar uma bolada, se for o mais bem pontuado.

Cada maratona tem seu percurso e seus desafios. A de Berlim teve seu recorde quebrado com um tempo de 2h 2min 57seg, pelo queniano Dennis Kimetto.

Já pensou em correr uma maratona? Se superar? Porque não?

Bons treinos!

Carla Simaes

Personal Trainer

Insta @csimaespersonaltrainer